Clínica DUE Logotipo

O Equilíbrio interior é o principal fator para manter a beleza da pele por mais tempo

Uma dieta equilibrada com zinco, Omega 3, ferro, vitaminas C e E, é indispensável para manter uma pele saudável, hidratada e bonita.

Pele bonita é sinal de juventude e saúde, o objetivo de todas as mulheres brasileiras, que gastam em média 30% do seu salário em cosméticos, maquiagem, e tratamentos de beleza. O que muitos ainda não sabem é que a alimentação está diretamente ligada à boa aparência da pele. Portanto, um cardápio equilibrado que contenha vitaminas e minerais, resulta em uma pele muito mais saudável. 

 

Nos dias atuais com a correria, estresse, cigarro, poluição, fast-foods, as pessoas produzem muito mais radicais livres do que deveriam. Assim, o ideal é neutralizá-los muito mais também. Por este motivo, é muito importante saber que, além de cuidar da alimentação, na maioria das vezes, é preciso recorrer a suplementos de vitaminas e oligoelementos para complementar a deficiência alimentar causada pela rotina.

 

Quanto mais estudamos, mais percebemos o quanto a alimentação é importante para manter uma pele bonita e saudável. Na alimentação devemos evitar alimentos nocivos à pele e ao organismo e devemos abusar daqueles que nos trazem benefícios. Às vezes, o primeiro sintoma de uma deficiência de vitamina pode se manifestar em uma pele opaca, sem brilho, flácida, em queda de cabelos, ou em unhas descamativas. Pois, acredito que a beleza externa é um reflexo do equilíbrio interior”. Explica a Dra. Cristiane Braga, médica especialista em dermatologia.

 

Os hábitos alimentares fazem toda diferença para manter uma pele mais bonita e saudável. Como muitos sabem, a água é o principal e mais importante item para manter a pele saudável. Não adianta usar o melhor creme existente no mercado se a pessoa não ingere água em quantidades suficientes. A hidratação da pele é de dentro para fora. Por este motivo, o consumo diário de dois copos a mais do que já estão acostumados é fundamental.

 

Além disso, é importante consumir antioxidantes naturais, soja e chá verde, por exemplo, que retardam o envelhecimento. Já a carne vermelha é rica em ferro, extremamente necessário para a produção de colágeno (responsável por manter o tônus da pele, evitando a flacidez) e dos cabelos. O Consumo de vegetais verde-escuros (brócolis, espinafre, rúcula, couve), castanhas, cereais integrais, leguminosas (feijão, lentinhas, grão-de-bico) são indispensáveis por conter zinco que é principal oligoelemento utilizado pelo nosso organismo nas situações de estresse.

 

Já as vitaminas C e E, importantes antioxidantes quando em associação, podem tornar-se pró-oxidantes quando ingeridos isoladamente. A vitamina C é muito encontrada nas frutas cítricas (limão, laranja, acerola, abacaxi, tomate) e a vitamina E, nas castanhas, no leite e derivados (queijos, iogurtes, etc). As duas são utilizadas em associação com outras substâncias, como filtro solar de uso oral. Isto porque eles aumentam a tolerabilidade da pele à radiação UV, protegendo a pele da degradação do sol, por terem um poder enorme de regeneração cutânea.

 

Como o desequilíbrio entre os radicais livres e os antioxidantes gera níveis diferentes de inflamação, o consumo de salmão favorece a atividade anti-inflamatória, por ser uma importante fonte de ômega 3, 6 e 9. Já a cenoura, abóbora, mamão são muito importantes para a saúde da pele, por conterem carotenóides e betacaroteno. Por fim, deve-se consumir com freqüência frutos do mar, castanhas, café e vinho tinto, pois estes itens contém cobre, que é responsável por ativar determinadas enzimas importantes para a pele.

 

     Dra. Cristiane Braga é especialista em dermatologia, medicina estética e tricologia. Com Pós-Graduação em Medicina Anti-Envelhecimento, a doutora também atua na Prevenção do Envelhecimento Cutâneo e patologia capilar. Professora da Pós-Graduação em Dermatologia da FPS, Diretora de Relações Internacionais da Sociedade Brasileira de Medicina Estética em São Paulo, Membro Técnico da Sociedade Brasileira Para os Estudos do Cabelo (SBEC) e da Sociedade Brasileira para Estudos do Envelhecimento (SOBRAE).

 

Um exemplo de cardápio seria:

 

Café da Manhã

Suco com cenoura, maçã e gengibre;

Uma fatia de pão integral com uma fatia de presunto magro;

Uma xícara de café ou chá verde;

 

Almoço

Salada verde com tomate;

Salmão grelhado, brócolis e purê de mandioquinha;

Uma fatia de abacaxi com hortelã;

 

Meio da Tarde

Um mix de castanhas, uma castanha do Pará, cinco amêndoas, duas nozes; cinco uvas-passa;

 

Jantar

Uma fatia de carne vermelha grelhada;

Uma porção de arroz sete grãos e uma porção de feijão;

Legumes cozidos e temperados com azeite de oliva extra-virgem;

Uma taça de vinho tinto (150ml);

 

 

Facebook Twitter Linkedin Google+ Youtube